Fumsoft firma parceria com rede internacional de inovação

A Fumsoft agora faz parte da rede BIN@, um grupo que promove a inovação e a internacionalização de empresas de base tecnológica. Fundada, em 2010, pelas universidades do Porto (Portugal), Sheffield (Inglaterra) e USP (São Paulo), a rede atua com foco na identificação de oportunidades, na organização de missões científicas, tecnológicas e na criação de condições para a internacionalização de startups nascidas em ambiente acadêmico. Para Pedro Coelho, coordenador de P&D e Inovação da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, co-fundador e coordenador geral da rede BIN@, a Fumsoft é uma instituição que desenvolve programas nas áreas de empreendedorismo (aceleração de startups), qualidade, internacionalização, inovação e que tem como missão induzir o desenvolvimento da cadeia produtiva da tecnologia de informação em Minas Gerais. Por ser um parceiro muito alinhado com a estratégia e missão da rede BIN@ pode alavancar a participação de instituições do estado nas atividades do grupo. “A Fumsoft poderá ter um papel fulcral no alinhamento de interesses das empresas de TI de Minas Gerais com outros parceiros da rede BIN@. Foi com entusiasmo que acolhemos a entidade como associado da rede, estou certo que todos teremos a ganhar com essa colaboração”, completa. Conexões – Segundo Coelho, anualmente e alternadamente, uma das universidades fundadoras da rede BIN@ organiza um evento internacional, visando a dinamização das atividades do grupo e para proporcionar condições para o desenvolvimento de parcerias com valor econômico e impacto social. O programa desses eventos inclui um conjunto de sessões abertas, ações temáticas, workshops, desafios de design e desenvolvimento de produto, uma mostra de tecnologias e outros eventos complementares, com acesso livre e gratuito. “Este... ler mais

Alunos do Programa Raízes da FDC conhecem o Acelera MGTI

Estudantes participantes do Programa Raízes da Fundação Dom Cabral estiveram, no Espaço MGTI, para conhecerem de perto a atuação da Fumsoft e do Acelera MGTI, na tarde do dia 2 de junho. Os estudantes tiveram a oportunidade de compreender o funcionamento de um ecossistema de empreendedorismo e as características básicas de um negócio. Flávia Guerra, Gestora do Programa MGTI, iniciou o encontro com uma palestra sobre a criação de startups e o processo de aceleração. A temática “desenvolvimento de software e programação” também foi explorada, na ocasião, ao ser apresentada pelo empresário Rodrigo Sol. Já os empreendedores Eduardo, Rafael e Douglas, que estão à frente de startups aceleradas pelo programa Acelera MGTI, compartilharam seus projetos e suas experiências pessoais. Por fim, os alunos receberam informações sobre o trabalho de formação profissional desenvolvido pela UAITEC. Criado pela Fundação Dom Cabral, em 2011, o Programa Raízes é voltado para jovens trabalhadores entre 15 e 18 anos com o objetivo de propiciar acesso a conteúdos humanistas e de diferentes áreas do conhecimento, não acessíveis na escola tradicional, na expectativa de que eles se tornem atores e autores do próprio processo de inclusão, segundo Rafaela Araújo, responsável pelos projetos Sociais da Fundação Dom Cabral. “O empreendedorismo é um dos temas trabalhados no programa, no módulo Raízes dos Negócios. Como parte da metodologia dialógica e experiencial os jovens realizaram a visita ao MGTI, com o intuito de aprenderem e conhecerem na prática como os empreendedores da área de tecnologia criam e operam seus negócios. Essa metodologia facilita o entendimento sobre as temáticas abordadas e desperta o interesse dos jovens que podem vivenciar os assuntos... ler mais

Acelera MGTI gradua startups do ciclo 2016/2017

Mais um ciclo do programa Acelera MGTI foi concluído com sucesso e expressivos resultados. Gerenciado pela Fumsoft, entidade com mais de 20 anos de experiência em empreendedorismo, o programa potencializou projetos inovadores de seis startups: Conciliadora, ContSelf, Homix, Rectrix, Virturian e WorldSense. Os empreendedores finalizaram essa etapa com a missão cumprida, compartilharam as lições aprendidas e listaram os desafios que terão pela frente, no evento de graduação conduzido pela gestora do Acelera MGTI, Flávia Guerra, e pelo diretor de Empreendedorismo da Fumsoft, Wilson Caldeira. A comemoração foi brindada com pizza & beer, no Café Bar Roda de Ideias, no dia 30 de maio. #GradueiAqui – A Conciliadora, plataforma que realiza de forma automatizada a conciliação de vendas em cartão de crédito de varejistas e e-commerce, cresceu de forma exponencial e encerrou a sua participação no programa com a conquista de 600 clientes, 50 novos a cada mês. “Entramos na aceleradora com o objetivo de iniciar as vendas com rapidez. No entanto, aprendemos logo no início sobre a importância do ato de planejar para alcançar os resultados esperados”, comenta o analista sênior, Alnio Helenio. Automatizar os processos, expandir os canais de venda para todo o país para alcançar 10.000 clientes, até 2020, são as metas da Conciliadora. Conectar profissionais liberais e empresas de contabilidade, tornando a gestão do livro caixa mais ágil e inteligente, com economia de até 40% de impostos na declaração de IRPF. Para colocar em prática essa proposta de atuação inovadora, a ContSelf teve que mudar o modelo de negócio e ajustar seu produto. A missão agora é estruturar o processo comercial, escalar o produto e buscar parcerias estratégicas. “O processo de aceleração foi essencial,... ler mais

5 motivos por que a conciliação de cartões automatizada é precisa

Atualmente, muito se fala sobre sistemas que fazem conciliação de vendas com cartões. Mas você sabe o porquê de automatizar esse processo e como isso o torna mais preciso? Com o aumento constante dos pagamentos com cartões de crédito e benefício, a demanda por um controle mais preciso só tende a aumentar. E por isso, vou detalhar 5 motivos por que a conciliação de cartões automatizada é precisa. Informações direto das operadoras de cartão A Conciliadora audita suas vendas com cartão com informações recebidas diretamente das operadoras e os trafega com o mesmo nível de segurança dos bancos. Ou seja, toda a auditoria é 100% fidedigna com o que de fato as operadoras trabalham. Por exemplo: Se uma venda realizada em sua loja não foi processada corretamente pela operadora de cartão, na Conciliadora você irá identificar essa divergência e poderá argumentar à sua operadora garantindo assim o recebimento desta venda. 2. Controle das taxas cobradas Com a conciliação de cartões automatizada, você tem controle de todas as taxas cobradas em cada uma das bandeiras que você realizou vendas e também acompanha com precisão todos os custos com maquinetas. Hoje em dia já é possível utilizar uma menor variedade de terminais de cartão e, ainda assim passar a maior parte das bandeiras no mercado, graças ao fim da exclusividade de bandeiras em maquinetas de cartão. Contudo, essa facilidade não unifica as taxas das diferentes operadoras de cartão e por isso, você precisa ter esse controle! É importante lembrar, que ao contratar um sistema que faça a conciliação automatizada para sua empresa, você deve acessar os relatórios semanalmente por exemplo, e avaliar se de fato... ler mais

A nova onda das empresas fundadas por “ex-googlers”

É cada vez mais comum encontrar empreendedores que saíram da gigante do Vale do Silício para fundar a própria startup Nos Estados Unidos há um termo para se referir aos funcionários do Google: os googlers. Em 71 cidades espalhadas pelo mundo, de São Francisco a Tóquio, passando por São Paulo, existem mais de 72 000 deles. É gente que costuma ter orgulho da empresa onde trabalha e gosta das regalias sempre presentes nos locais de trabalho, como comida gratuita, dos salários acima da média do mercado e da autonomia para definir projetos. Para os jovens que desejam entrar no mercado de tecnologia, o Google é um dos lugares dos sonhos. No entanto, uma parte dos googlers desiste dessa vida. São engenheiros e executivos que largaram o conforto dos escritórios para empreender. Não existem dados oficiais a respeito, mas atualmente há pelo menos cinco dezenas de empresas nos Estados Unidos fundadas por ex-googlers. Em escala menor, a mesma tendência começa a ocorrer no Brasil. Diego Nogueira e Davi Reis, fundadores da WorldSense, startup com sede em Belo Horizonte, estavam na primeira turma de engenheiros contratados pelo Google no Brasil em 2005. Nogueira e Reis passaram quase dez anos trabalhando na companhia, aprimorando os sistemas de busca, de mapas e também o desenvolvimento de algoritmos para o software de publicidade. Em 2015, a dupla pediu demissão, fundou a própria empresa e criou uma ferramenta de propaganda online. A WorldSense faz o casamento entre, de um lado, os anunciantes e, de outro, blogs e sites de notícias em busca de publicidade. Com seu sistema, encontra palavras-chave do interesse dos anunciantes nos textos e coloca junto delas... ler mais
Acelera MGTI abre inscrições para seleção de startups de base tecnológica

Acelera MGTI abre inscrições para seleção de startups de base tecnológica

O programa Acelera MGTI, especializado em potencializar empreendimentos inovadores e desenvolver competências globais, está com edital aberto para o ciclo 2017/2018. O programa irá selecionar e desenvolver até 15 startups de base tecnológica que já possuam produtos ou serviços que estejam, no mínimo, em fase de descoberta ou validação do cliente. O objetivo é levá-las a atingir um estágio de validação do problema, da solução e do início da escalabilidade de vendas. Tendo como destaque sua metodologia de evolução das startups, o programa propicia  conexões internacionais com Silicon Valley e Europa. Uma das novidades nesse novo ciclo é a oferta de uma vaga (para a startup com melhor desempenho no programa) para o programa de Inovação e Empreendedorismo com a Universidade de Stanford, previsto para 2018, e uma visita à ecossistemas internacionais de empreendedorismo participantes da rede BIN@ – Business and Innovation (fundada pela Universidade do Porto – Portugal, Universidade de Sheffield – Inglaterra e USP – São Paulo). O conjunto de benefícios oferecidos equivale a um investimento, por startup, da ordem de R$200.000,00. Além das conexões já mencionadas, podem ser citados como benefícios: consultorias com profissionais experientes e qualificados, treinamentos, eventos, metodologia fundamentada nos conceitos do Lean Startup e Customer Development, mentorias com empresários e especialistas de mercado, network em ambiente potencializador de negócios, com acesso a mais de 300 empresas associadas à Fumsoft e Assespro-MG, acesso a investidores e infraestrutura e localização privilegiada. A aceleradora/incubadora Acelera MGTI é gerenciada pela Fumsoft, entidade com mais de 20 anos de experiência em empreendedorismo, e conta com o apoio das demais entidades de tecnologia de Minas Gerais participantes do programa MGTI.... ler mais

Virturian participa da EXPOMAFE 2017

Mostrar, na prática, a transformação digital de uma fábrica. Foi com essa proposta que a Virturian, startup acelerada pelo programa Acelera MGTI, participou da Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Automação Industrial (EXPOMAFE). O evento foi realizado de 9 a 13 de maio, no São Paulo Expo. A Virturian apresentou sua solução digital de monitoramento e análise preditiva da condição de equipamentos industriais a partir da análise dos dados de operação dos motores elétricos. A ferramenta é capaz de reduzir o número de paradas de produção e o custo de manutenção em até 30%. A startup ainda teve a oportunidade de demonstrar sua tecnologia em uma planta industrial construída dentro da EXPOMAFE. “A feira foi um sucesso, pois conseguimos atingir nossos objetivos na atração de clientes e investidores. Além disso, demonstramos a solução de forma didática para um grande público que pode vir a se tornar cliente”, comentou o CEO da Virturian, Rafael Costa. A startup também esteve à frente da palestra “O futuro da manutenção industrial”. Confira aqui todos os detalhes do evento com Rafael Costa, uma iniciativa da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos... ler mais

App de gestão fiscal facilita a rotina de profissionais da saúde

Embora a declaração do IR seja um compromisso que se repete todos os anos, ainda causa muitas dúvidas nos brasileiros. Especialmente, quando há condições específicas para a dedução de despesas, como acontece com os profissionais da área da saúde, por exemplo. Pensando nisso, uma startup mineira desenvolveu um aplicativo que faz toda a gestão tributária e financeira de médicos, fisioterapeutas e odontólogos, entre outros profissionais liberais que atuam nessa área. Por meio do aplicativo da ContSelf, é possível acompanhar as despesas e as receitas no mês, emitir notas fiscais, fazer recibos e, posteriormente, todos esses dados podem ser exportados tanto para a declaração do imposto de renda quanto para a Declaração de Serviços Médicos (DMED). De acordo com um dos fundadores da startup, Eduardo Ferreira, o papel do aplicativo ContSelf é agilizar a vida dessas pessoas, fazendo com que elas poupem tempo e dinheiro em seu dia a dia. IRPF 2017 Pensando em ajudar os profissionais da saúde a se organizarem para o IRPF, deste ano, a startup desenvolveu também um e-book, que responde muitas dúvidas que são comuns a esses profissionais na hora de elaborarem a declaração. Além de abordar as regras específicas para o segmento da saúde, o e-book também dá dicas para que as pessoas se preparem e não percam o prazo de entrega da declaração. Os leitores também vão encontrar, entre outras informações úteis, uma lista com os documentos exigidos pela Receita Federal.   O e-book é gratuito e está disponível para download neste link: http://conteudo.contself.com.br/ebook-guia-definitivo-irpf2017-profissionais-saude  Sobre  A ContSelf, startup aceleradora pela Acelera MGTI, é uma empresa mineira, inovadora, arrojada, disruptiva, que visa oferecer aos seus clientes mais conforto,... ler mais
Já conhece a personal stylist Stella?

Já conhece a personal stylist Stella?

Aplicativo vai te dar um help na hora de montar a produção do dia Já imaginou poupar aquele tempo gasto em frente ao closet tentando escolher o que vestir? Stella (aqui) é um app que resolve exatamente este problema. Como uma espécie de melhor amiga, ela vai te dar várias sugestões de looks para não fazer feio na hora de compor sua produção. Também vai opinar se “sua roupa está boa” e dizer como pode melhorar. Mudança de temperatura? Stella prevê! Feita para ser literalmente sua personal stylist na palma da mão, é ela que te oferece inspirações personalizadas e de acordo com suas demandas específicas. Tudo começa com um cadastro em que são fornecidas suas características físicas, exemplo, tipo de corpo, idade, tom de pele e estilos que mais gosta de vestir. Com esses dados, o app oferece inspirações com imagens de composições baseados na temperatura do dia e na ocasião indicada pela usuária. Além disso, depois de escolhido o look, você pode perguntar se “sua roupa está boa”. Basta submeter uma foto de corpo inteiro, que ela avaliará a produção e dará dicas de como melhorá-la. Isso é possível através de técnicas computacionais de machine learning e inteligência artificial. A culpa de tudo, no bom sentido é da consultora de estilo Rejane Lamounier. Stella é uma startup acelerada pela Acelera MGTI, em Belo Horizonte. A iniciativa também tem apoio do departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), responsável pela criação do algoritmo que permite a análise dos looks das usuárias sem o auxílio de um personal stylist real. “Stella tem o objetivo de otimizar o guarda roupa das usuárias, fazendo com que gastem menos... ler mais
Brazil Lab é apresentado no Espaço MGTI

Brazil Lab é apresentado no Espaço MGTI

O programa de aceleração e conexão de empreendedores com o poder público, Brazil Lab, foi apresentado no Café Bar Roda de Ideias, no dia 05 de abril. Participaram do evento empreendedores que já tinham ou queriam iniciar negócios que tivessem impacto na sociedade através do governo e representantes do setor público que trouxeram para a discussão suas percepções e desafios. O maior diferencial do programa é a conexão das startups aos líderes públicos e à realidade do setor público. Assim, os quatro meses de aceleração (sendo três dias por mês), é totalmente focado em estruturar ou adaptar o modelo de negócio das startups ao setor público. “Contamos com uma rede de mais de 40 mentores, entre eles secretários e gestores públicos, e realizamos Field Day onde os empreendedores fazem uma imersão no setor público para terem maior entendimento de sua realidade e desafios. Por fim, vale ressaltar que no DemoDay que acontece no final da aceleração, trazemos não apenas investidores, mas também muitos prefeitos para avaliação das startups”, explicou o coordenador do programa, Marcello Danelli. A primeira edição realizada, no ano passado, contou com mais de 600 inscritos e a participação de 11 acelerados. Inscreveram-se representantes de 20 estados brasileiros e um do Canadá. A startup AppProva, acelerada no primeiro ciclo da Acelera MGTI, participou do Brazil Lab. A plataforma ­- voltada para testes e diagnósticos para alunos, escolas e instituições de ensino superior – ficou entre os projetos vencedores da edição 2016. Edição 2017 – A aceleração acontecerá no Google Campus, em São Paulo, e novos patrocínios e mentores irão potencializar o sonho do Brazil Lab de estimular a inovação no setor... ler mais